A putinha casada querendo sexo

Conheci uma mulher fofinha e baixinha através de um amigo, ela era casada e ficava de assuntos pelo telefone com meu amigo, fazia alguns meses que eu e ele havíamos saído do quartel e ele viu que pelo telefone ela ficou mais na minha e cedeu sem nenhum problema, aliás, a mulher não era dele hehe.
Ela pegou meu telefone e começamos a trocar msg, ainda não existia WhatsApp, então era pelo face e por SMS, marcamos de se encontrar na praça dos macaquinhos em Caxias do Sul, uma praça bem movimentada, como seu marido trabalhava a noite era umas 18 horas, ela chegou de calça jeans, blusa clara, ela era uma branquinha baixinha de cabelos pelo ombro, um pouquinho fofinha mas não muito, a calça bem apertada revelava que ela tinha uma bunda deliciosa.

Começamos a conversar sentados sobre os degraus de uma escada e logo começamos a caminhar, convidei ela pra irmos pra baixo de umas árvores, já que a medida que ficava tarde havia diminuído o fluxo das pessoas no local, e ali teríamos mais liberdade, chegamos perto um do outro sem trocar uma palavra, fiz um carinho em seu cabelo, olhando em seus olhos e beijei sua boca, ela que usava aparelhos, mesmo com seus 25 anos ainda não beijava muito bem, mas demonstrava muita vontade naquele beijo, fui acalmando ela, para que eu desse ritmo ao beijo, de uma forma sensual, pecando ela com a mão esquerda firmando seu cabelo pela nuca e direita viajando descubrindo cada detalhe do seu corpo, ela sentiu que meu pau estava duro feito pedra e colocou a mão sobre ele, eu logo fui tirando ele para fora, quando ela olhou brilhou os olhos, mordiscou os lábios e exclamou; que cacete lindo, grande e grosso. Achei que ia ganhar um boquete, até pedi implorei mas ela não o fez ali, somente ficou punhetando minha pika ali sobre aquelas árvores, continuamos nos beijando até que gozei sobre a grama, fomos embora sem sexo aquele dia, somente aquele primeiro contato.
Na mesma semana saímos novamente, dessa vez eu a busquei de moto e fomos direto a um motel, chegando lá, de novo aquele beijo intenso, com calor e sedução, dessa vez ela já mais treinada a ser comandada pelas minhas ações, grudei ela contra a parede, e possuído pelo desejo, foi minha hora de tocar ela pelo corpo inteiro, ela se entregou totalmente sem dizer uma sequer palavra, somente se ouvia suspiros e pequenos gemidos, desabotoei sua roupa tirei sua calça e beijando-a apertava sua xoxota fazendo movimentos circulares ainda por cima da calcinha, liberei seus peitos e cai de boca, sugando-os com uma vontade voraz, peitos branquinhos com os biquinhos rosadinhos e duros, fazendo meu pau babar sozinho, ainda por baixo da cueca, joguei ela na cama somente com a calcinha sua branca e em meio de suas pernas cai de boca, mas não diretamente em sua xaninha, comecei brincando, beijando a perna, bolinando sua bucetinha lentamente, até que, afastei a calcinha para o lado e devorei sua xaninha com minha língua, aquela buceta pequenina, ela começou a gemer alto e a falar coisas sem nexo que não se podiam entender, apertava o colchão, se contorcia, e eu não parei até que ela explodice em um gozo, enrijecendo seus músculos todos e soltando um grito extenso.
Tirei minha cueca e ofereci meu pau livre para sua boquinha com aparelhos, ela colocou sua boca com uma sede, que mesmo com o aparelho parece que queria comer meu pau literalmente, por vezes até machucando o, mas o tesão era tão grande que eu queria mais, logo eu não aguentava mais e anunciei que estava pronto para gozar, ela não demonstrou nenhuma reação, continuou a sugar meu pau, até que eu fartamente gozei, fazendo que escorrece porra em cantos de sua boca, ela feito uma putinha dedicada limpou totalmente minha gala, tomando tudinho, fazendo cara de satisfeita, com aquele tratamento VIP foi que meu pau gozando, incrívelmente não quis baixar, aí fui por cima dela em um papai mamãe e comecei a penetra-la lentamente, sentindo que não era só o desenho da buceta que era pequeno ela era apertadinha, mesmo ela estando lubrificada do gozo anterior, comecei a aumentar as estocadas a fuder ela com força, ela começou a gritar; soca gostoso, come tua putinha, soca esse caralho gostoso, me fode, me fode. Neste mesmo momento ela arranhava minhas costas toda, enfiei meu pau por um bom tempo, já que havia gozado anteriormente, essa segunda gozada foi mais demorada, mas não menos prazerosa, quando estava pra gozar senti que ela também estava, foi algo que até hoje me faz excitar, gozamos juntos, perdendo nós dois as forçar do corpo todo, olhei para seu rosto ela estava com a feição parece que iria chorar, um misto de emoções, tomamos banho, repetimos a dose no chuveiro, tentei comer seu rabinho ela não conseguiu aguentar minha pika, reclamando ser muito grossa, mas prometeu um outro dia tentar, fomos embora, e no mínimo uma vez por semana eu comia aquela Putinga casada, que começou a se apaixonar por mim, mas deu uns três meses, eu decidi por um fim, ela estava decidida a por um fim no relacionamento para ficar cmg, e a gota d’água foi quando ela estava desconfiada de estar grávida, aí quando comprovou que não, eu decidi por um fim, ela me procurou por um bom tempo, mas ficou só as lembranças daquela química incrível que existia entre nós! Espero que gostem do conto, e de seu like, grande abraço, gaúcho moreno!

Deixe um comentário

CAPTCHA



Online porn video at mobile phone


contos reais de sexocontos eroticos de cornocontos sobrinhoconto erpticorelatos eróticoporno contos eroticoscontos eróticos por categoriatransei com minha cunhadacontos gay 2018contos eroticos primocontos eroticos com padrastocontos eroticos casaiscontos eroticos de traiçaoconto erótico novinhacontoeróticosconto erótico gaycontos eroticos selvagemcdzinha novinhacontos eróticos lesbicasrelatos eróticoscontos eriticoscontos eroticos comendo a cunhadacontos de sobrinhasconto heroticocontos eróticos filhacontos eróticos de travestiviuva gostosacontos cunhadinhacontos heroticos gaycont erotconto erotico encoxadaprima safadacontos eroticos recentesconto erotico na praiacontos eroticos cunhadacontos eroticos casadasexibindo a esposacomi minha filhacontos eróticos incestocontos crossdressercontos eroticos incestocontos eroticos netcontos eroticos de incestoconto porno incestoputinha do papaiconto.eróticocontos eróticos padrastocontos eroticos categoriacontos de sexo selvagemconto eroticoscontos eroticos gaymelhores contos eroticoscontos eroticos novinhacontos eroticos proibidosrelatos de incestoscontos eróticos recentesconto erotucocontos cunhadacontos eroticos de cornoscontos eroticos chupando bucetaconto erotico travesticontos eroricoscontos porno gaycontos eróticos ônibusconto erotico massagemcontos eroticos de travestiscontos eroticos comendo a sobrinhacontos eroticos empregadaprima safadacontos erodicoscontos eróticos safadosconto erotico lesbicocontos eroticoscontos eroticos traiçãogay contosconto erotico cornocontos eroticos engravideicontos eroticos fantasiavontos eroticoscontos eroticos incertossexo gostoso contoscontos eróticos sogrocontos eroticos mais lidoscontos eroticos de traicaoconto erotico lesbicaconto eroticocontos eroticos de cornocontos eroticos lesbicacontos eroticos massagemcontos eroticos gay primeira vez