Minha Sogra me apresentou pra Putaria

Tive minha primeira namorada lá com 16 anos e ela dois anos mais nova, a Renatinha, ela era uma das meninas mais gatinhas de Guarulhos na época e até hoje eu nem sei como consegui, pois na época eu era bem tímido e inseguro quando assunto era mulher.
Namorei com a Renatinha por dois anos e um pouco antes de completar 18 finalmente perdemos a virgindade juntos e passamos a transar com regularidade, porém era um negócio bem feijão com arroz ainda. Estávamos aprendendo juntos.

Mas vamos a mãe da Renatinha, a Dona “Eliane”, ela teve a filha cedo e estava com 34 anos na época. Era uma coroa bonita, branca, cabelos pretos e curtos, olhos esverdeados, 1,55, uns 55kg, pele lisa, par de coxas grossas e uma bunda grande que a Renatinha tinha herdado. As ancas da dona Eliane eram grandes, mulher estilo pera.

Renatinha e eu tínhamos um esquema de transa. Ela ficava sozinha a tarde alguns dias da semana e eu trabalhava meio período pela manhã e à noite ia pra faculdade. Basicamente transávamos a tarde toda antes de eu ir pra faculdade, mas como eu disse, transa bem feijão com arroz.

Alguns dias da semana a Dona Eliane estava em casa e não dava pra transar. Minha primeira sogrinha era recém separada e estava dando para dois caras com certa frequência. Um trabalhava com ela, feio que doía, e o outro nos finais de semana e as vezes ainda saia pra algum
Bar e trazia um macho diferente pra dar. Na época me incomodava bastante esse monte de macho na casa da minha namorada, porque realmente ela era muito gata e gostosa. Eu tinha que ficar quieto, porque uma vez fui reclamar e tomei um esculacho da Renata.

Numa das tardes passei na casa da Renata como de costume, ela não estava a e dona Eliane me mandou entrar para esperar:
-Entra, a Renata foi até a Penha na casa da Tia, mas você pode ficar aqui até ela voltar.
>pode deixar, vou pra casa
-larga a mão de ser bobo, vem almoçar
-tem lasanha

Eu adoro lasanha e aceitei. Dona Eliane estava com uma camisola preta meio transparente que ela costumava usar e dava pra ver tudo por baixo. Usava uma calcinha preta grande.
Não me preocupei muito e fui almoçar. Depois fui pro quarto da Renata ver TV e tirar um cochilo, mas dona Eliane me chamou na sala pra ajudar a matar uma barata.
Cheguei na sala e a coroa estava de 4 com o rabao empinado olhando debaixo do sofá. Só que ela tinha trocado de calcinha e tinha colocado um fio dental que era só o cordaozinho. Fiquei ali uns 10 segundos em Choque pela cena até que ela me deu uma bronca:
-para de olhar e vem aqui me ajudar muleke lerdo
>ta ….. gaguejando

Procurava e não achava nada. E a Dona Eliane me dando ordens.
-Vai lá no quintal e pega uma vassoura

Fui e quando voltei estava ela lá denovo com o rabao empinado. Não tinha como não olhar, era quase o dobro do tamanho da bunda da Renata. Denovo sei uma observada e levei outra bronca:
-da logo essa merda, parece que nunca viu.

Eu queimava de vermelho e nem sabia aonde enfiar a cara. E depôs de um tempo desistimos da barata, porque não achamos. Nessa brincadeira eu sujei minha camisa social, trabalhava de terno e gravata, e Dona Eliana me falou para colocar uma roupa mais solta. Eu tinha algumas peças de roupa lá no guarda roupa da Renata.

Me troquei e dona Eliana veio pu ar papo:
-não sei como vc aguenta trabalhar de terno
– quente pra caramba
>o chefe pede né, mas eu gosto
-credo.
-se eu pudesse ficava de camisola o dia todo.
-muito mais confortável, não acha?

-a parte ruim é que quando abaixo mostra minha bunda toda. Né ?
>é, um pouco ….. já queimando de vermelho denovo
-Aí, queria ter uma bunda durinha igual a da Re.

Nisso se levantou virou a bunda pro meu lado, levantou a camisola mostrando a bunda e começou a apertar dizendo:
-olha só, minha bunda já está toda mole
-cheia de celulite … apertando com a mão
-olha aqui, vem ver
>… eu lá bugado
-vem aqui menino, para de coisa

Puxando minha mão e fazendo passar nas celulites. Que tinha mesmo, já que era uma raba e coxas carnudas.
Eu tremendo e morrendo de vergonha, vermelho que só e levando bronca:
-Aperta isso aí menino, tá com vergonha de que?
-nunca passou a mão numa bunda por acaso?

Alisei sem jeito aquela bunda por um tempo, todo sem graça e dona Eliane pressionando se ajeitou ficando com a bunda bem na minha frente, levantou a camisola e comentou:
-assim aparece mais as celulites
-E assim?

Abaixou e apoiou os braços na mesinha de centro, ficou de 4 com a bunda bem na minha frente. Aquela calcinha fiodental não cobria qse nada. Um dos lábios da buceta estava todo se fora, as pregas do cuzinho que parecia um sol com um fiozinho de nada no meio. Cheiro forte de buceta melada.

-Já chupou a buceta da Renata?
>não não
-E tá esperando o que pra chupar?
>ã?
-Moleque lerdo, tá esperando o que pra chupar?
Tem uma buceta na sua cara. Você é bicha?
>não não, é que não estou entendendo.
-Entendendo o que lerdo?
-chupa minha buceta ou vc é bicha.

Dona Eliane tirou a calcinha e voltou pra posição de 4 e me mandou chupar.
Meu totalmente perdido meti a cara na buceta dela. Nariz até entrou na fenda, perdido perdido, mas dona Eliane foi ensinando como lamber, como chupar o grelo, como lamber o cuzinho.

Fui pegando o jeito e ela começou a me elogiar. Comecei a encarar comunismo desafio:
-isso gatinho. Lambe assim
-agora coloca língua no cuzinho
-assimmmmmmm
-Vem pro meu quarto

Me puxou, deitou na cama com as pernas abertas e abrindo a buceta com as mãos:
-tira essa roupa e vem chupar mais
-ué, não tá de pau duro por que?
>tô nervoso ….morrendo de vergonha e vermelho igual pimenta, murmurei.

-que dó, vou te ajudar
-Vem aqui vem
-deita aqui

Deitei e Dona Eliane botou meu pau mole na boca e começou a chupar. Nunca tinha ganho um boquete na vida, mas continuava muito nervoso e o pau não subia.
Dona Eliane, experiente, percebeu e fechou a porta e as cortinas deixando o quarto na penumbra. Isso foi me acalmando e logo meu pau respondeu:
-hummm agora sim, durinho
-A Renata tem sorte, belo pau vc tem
-grosso, grande
-será que eu consigo engolir tudo?

Dona Eliane tentou e deu uma engasgada.
Tentou uma 3x vezes e quase conseguiu, mas sempre engasgava tossindo bastante:
-vem um pouco mais pro meio da cama, vc vai me chupar também.

Me ajeitou e sentou na minha cara fazendo um 69.
-Vai menino, chupa essa buceta até eu gozar que deixo vc gozar na minha boca

Começamos o 69 e eu chupando com vontade. Sugava aqueles lábios, lambia aquela buceta com gosto forte.
Dona Eliane estava se esforçando para empurrar todo meu pau pra dentro da garganta. Mas não entrava tudo, estava duro feito pedra e isso estava atrapalhando a sogrinha:
-quero ver
-vou abrir a cortina pra entrar luz
-vê se não broxa

Abriu e ficou bem claro. Eu ainda estava nervoso, mas o pau lá estava lá a ponto de bala e não amoleceu. Dona Eliana voltou meter a buceta na minha cara, Dessa vez de frente esfregando a buceta:
-lambe filho da puta
-aprende aqui pra fazer direito na minha filha depois
-isso, isso
…puxava meu cabelo contra a buceta e esfregava com força.
-vai fdp, chupa
-isso, isso, com força
-chupa essa buceta

Quase me sufocando começou a rebolar com força na minha cara até gozar:
-ahhhhhhhh, issshhhh gostoso
-sente minha buceta, sente
-mulher de verdade gozando pra vc
-isso

Dona Eliane ficou um tempo em cima de mim rebolando e eu com dificuldade pra respirar. Até que ela se levantou, colocou dois travesseiros debaixo da minha cabeça e se posicionou no 69 novamente. Com os travesseiros minha cara ficou muito mais perto de tudo. Ela deu uma abocanhada na rola e disse:
-chupa meu cuzinho
-aproveita que não é todo mundo que tem essa sorte…. disse rindo
-abre com as mãos assim, tá vendo?

Mostrou como abrir a bunda puxando com uma das mãos e eu obediente comecei a lamber aquela raba.
Dona Eliane engolindo minha rola qse toda e eu chupando aquele cuzinho macio. A língua entrava fácil. O cuzinho da Dona Eliane tinha um gosto mais gostoso que a buceta.
Eu sabia que estava mandando bem, porque dona Eliane chupava meu pau freneticamente enquanto gemia.
E como estava concentrado em chupar aquele cuzao eu nem me empolgava muito com o boquete e com isso estava demorando ora eu querer gozar, até que a Dona Eliane disse:
-pode enfiar os dedinhos se quiser
-é todo seu, pode usar
-só deixa ele bem molhado antes.

Dei uma babada no meu dedo do meio da mão direita e comecei a colocar no buraquinho. Morrendo de cuidados com medo de machucar. Mas dona Eliane pegou minha mão e empurrou o dedo todo pra dentro. O dedo entrava e saía fácil naquele cuzinho aveludado e comecei a bombar no mesmo ritimo do boquete e isso foi me dando tesao demais até que sem aviso enchi a boca da Dona Eliane de porra.
Na esporrada o primeiro jato foi no fundo da garganta e ela engasgou.
Começou a me xingar tossindo e falando:
-AVisa fdp… cofff coffff
-tá na minha garganta … coff coff
-bate nas minhas costas

Que cena ridícula, no meio da trepada e eu dando tapinha pra desengasgar.
Depois de tudo mais calmo Dona Eliana foi beber um copo de água e voltou, eu voltei a ficar com vergonha.
Dona Eliana já chegou se ajeitando perto da minha rola mole, beijando e brincando com língua:
-esse pau aguenta segundo round?
-hum???? .. enquanto brincava com ele

Eu mal tinha gozado, mas com 18 anos e aquela coroa com cara se puta lambendo a cabeça do meu pau não demorou nada pro meu pau começar a apontar pro teto denovo:
-ahhh já tá ficando durinho
-acho que vc gostou mais da mãe do que da filha
-vou ficar com vc pra mim
-vai, deixa esse pauzao duro pra mim deixa
-quero sentar nele, vai

A Renatinha nunca tinha sentado em mim e aquilo me deixou durão denovo.
Dona Eliane se ajeitou de costas pra mim e posicionou a cabeça da minha pica no cuzinho e sentou afundando gostoso.
A coroa manjava se dar o cu. Sentava gostoso, rebolando um pouco e com uma das mãos brincava com meu saco.
Aquele barulho de rabo batendo dava muito tesao “plof, plof, plof, plof” a cada sentada forte.
Não aguentei e gozei denovo enchendo aquele vinde porra.
Dona Eliane percebeu e ficou paradinha até eu acabar. Então abriu as bandas com as duas mãos e levantou. Aquele cu aberto e a porra escorrendo.
-adoro ganhar no cu
-que delícia
-nunca que a Re deixa vc fazer isso nela. Deixa?

Só balancei a cabeça dizendo que não é el continuou:
-ela tem meu sangue, vai gostar de dar a bunda pra vc
-essa bunda grande aqui precisa de muita rola pra ficar em forma …. dando uns tapas enquanto falava

-Descansa um pouco que vc vai me comer denovo já já.

Nesse dia ainda transei com Dona Eliana mais uma vez, no cu novamente e a partir desse dia ela começou a me ensinar a arte da putaria, ela me “estragou” no bom sentido. Tudo que aprendia com ela praticava com e filha dela. E mesmo depois de terminar o namoro ainda comi a Dona Eliane várias vezes, sempre com putaria. Ela me viciou em comer cuzinho e me ensinou a me esforçar pra fazer mulher gozar, como ela dizia “me faz gozar que deixo vc me comer como quiser”.

Recentemente a vi numa padaria aqui perto, 60 anos já, bem conservada para a idade. Mas não conversamos, só um “tchauzinho” de longe.

1 comentário em “Minha Sogra me apresentou pra Putaria”

  1. Ola sou louco para pegar um loirinha, deve ter a buceta branquinha, ou pegar uma novinha deve ser uma delicia, ou pegar mae e filha😬 tambem pegar uma casada na frente do marido eita, mulher q esta ai cheia de tesÃo me chama no zap 11947841246

    Responder

Deixe um comentário



contos eróticos pai e filhacontos eroticos encoxadacontos eroticos de lesbicasconto erotico no onibuscdzinhacontos de encoxadastravesti contoscontos porno incestocomendo minha tiacontos erodicoscontos eorticosconto insestocontos comendo a cunhadacontoserocontoseroticos gaycontos eróticos padrastoconto erotico.comviuva gostosacontos eróticos perdendo a virgindadecontos eroticos comi minha sobrinhacontos eroticos gayscontos eroticos de lesbicascontos eroticocontos gay incestohistoria eroticaminha mulher deu pra outrocontos eroticos bem safadoscomi minha tia contoscontos heroticos reaiscontos eroticos.com.brcontos eroticos onibuscontos erpticoscontos eróticos sograconto erotico lesbicacontos eróticos últimocontos sacanagemcontos erotivoscomendo minha sogracontos eroticos selvagemcontos eróticos safadoscontos de traiçaocontos eroticos de cornoconto erótico tiorelatos e contos eroticoscontos eroticos cunhadoconti eróticoviuva gostosacontos eroticos mulher do amigocontos eroticos reaiscontos eroticos vizinha novinhacontos de incestoscontos eroticos gaycontos cdzinhacontos eroticos comendo a cunhadacontos insestocontoserocontos eróticos categoriacont erocontos cdzinhacontos eroticos de traicaocontos eróticos incestoscontos esposacontos eroticos engravideicontis eróticoscontos eróticos lésbicocontos eroticos coroaconts eroticoscontos sexycontos/eroticoscontos eroticos mãecontos eroticos de travesticontos eróticos mãe e filhoconto erotico cunhadatransei com meu cunhadocontos er