Enfim Minha Primeira Vez

Meu nome é Lilika, tenho 21 anos, tenho 1,65 m de altura e 52 kg e sou ruiva.
Depois de muito tempo lendo os contos tomei coragem finalmente de escrever minhas aventuras sexuais e publicar aqui. Todos os fatos são reais, apemas os nomes e algumas indicações são fictícios, para não me comprometer e às outras pessoas envolvidas.
Moro com meus pais e meu irmão em um edifício onde moram também meus primos, Deco e minha prima Giulia. Os pais deles são médicos e trabalham fora o dia inteiro. O meu pai é engenheiro e minha mãe é administradora de empresa e também ficam fora o dia todo.


Desde os 10-11 anos eu já fazia “brincadeirinhas” com meu primo, que é mais velho que eu 3 anos e pouco. Aos poucos, conforme fui ficando mais velha, as brincadeirinhas foram ficando mais quentes, porém tinha os limites de não haver penetração. Ele me tocava, eu tocava nele, beijinhos e coisas assim. Depois que fiz 11 anos pela primeira vez ele me pediu para chupar e falou que eu tinha que ficar chupando até o fim. Eu não tinha a menor ideia do que era o fim. Ele pegou um dedo meu, colocou na boca e ficou chupando e passando a língua em volta e disse que eu devria fzer assim. Para mim aquilo era apenas mais uma bricadirinha ds nossas. Comecei a chupar e vi que ele estava

gostando muito e eu também estava. Às vezes ele segurava minha cabeça e tentava empurrar um pouco mais na minha boca, mas eu engasgava. A gente ficou assim durante algum tempo, até que de repente senti minha boca encher de uma gosma quente, com vários jatos saindo do pau de meu primo. Sem saber o que era aquilo tirei o pau da boca e cuspi tudo, me sujando, sujando meu primo e a cama. Ele me deu o maior esporro e disse que eu não podia fazer isso nunca mais. Que tinha que esperar ele acabar e depois ir ao banheiro cuspir ou engolir. Eu falei que não sabia e que ele não me avisou nada que ia acontecer isso, mas prometi que da próxima vez não iria fazer de novo. Acabamos os dois rindo do que aconteceu.
Com o passar do tempo nossas brincadeiras foram ficando mais incrementadas, eu aprendi a engolir e ele depois passou a me chupar também. Quando meus seios começaram a crescer ele passou a chupar neles também, o que me dava muito prazer. Um dia, acho que eu já tinha 13, ele pediu para que a gente ficasse os dois nús. No início fiquei com medo, mas ele jurou que não teria penetração, que ele ia ficar apenas roçando em mim e que eu iria gostar. Acabei deixando e ele fez assim mesmo, só esfregando o pau na minha xana e no meu corpo, me chupando toda e eu chupando ele. Eu estava gostando cada vz mais das nossas brincadeiras, que a gente normalmente fazia uma ou duas vezes por semana.

Copntinuamos por bastante tempo fazendo essas coisas, que eu achava deliciosas. Logo depois que eu fiz 14 anos meu primo disse que ia fazer uma surpresa e me dar um presente, mas não falou o que seria. Nós estávamos fazendo as mesmas coisas e nesse dia ele deitou em cima de mim e ficou esregando o pau para cima e para baixo em minha xana, que claro já estava toda molhada. Aos poucos senti que ele procurava afastar mais as minhas pernas, mas nem falei nada porque estava muito gostoso. De repente em uma das esfragadas senti que a cabeça do pau dele não escorregou, mas ficou bem encostada na entrada da minha xana. Olhei assustada para o meu primo e mesmo sem ele falar nada percebi que ele iria empurrar e me penetrar. Eu sabia que não adiantaria nada mandar ele parar e eu também estava tão excitada que nem tinha mais controle. Fechei os olhos e senti me abraçando mais forte e forçando a cabeça na entrada da minha xana. Ele me beijou na boca com força e eu senti uma dor do meu himem sendo rompido e o pau dele entrando por dentro de mim, me abrindo, me rasgando sem que eu pudesse fazer nada. Ele só parou de me beijar quendo seu pau entrou por inteiro em mim. Eu sentia forçando no fundo. Ele me olhou e falou:
– Lika, agora você é mulher, minha mulher. Eu tirei o seu cabacinho e agora você é minha.

Eu assustada não saia o que fazer nem falar, só olhava para ele. Imediatamente começou a fazer os movimentos, entrando e saindo com o pau em mim e aos poucos fui ficando mais lubrificada por dentro, facilitando a penetraçao. Foi aumentando a velocidade e a força dos movimentos e apesar da dor que sentia, aquilo estava me dando prazer também. Eu estava completamente entregue, ele me dominando inteiramente, aumentando o ritmo e a força das estocadas, fazendo com que eu gemesse cada vez que ele empurrava o pau dentro de mim. Ele foi ficando muito excitado e em poucos minutos senti os jatos de porra quente sendo esguichados dentro de mim, o que até aliviou um pouco as dores que eu sentia. Ficou mais um pouco bombando em mim, até que parou, arriando o corpo sobre o meu, tipo assim um pouco ofegante. Ficamos uns minutos parados, ate que ele tornou a falar:
– Lika, essa foi a melhor buceta que eu já comi. Você é muito apertada e tive que forçar para tirar seu cabacinho. Você é deliciosa.

Ele foi supendendo seu corpo e saindo de dentro de mim e depois sentou na cama. Eu também me levantei e vi que o pau dele estava sujo de sabgue, assim como minhas coxas e uma poça de porra misturada com sangue no lençol da cama. Eu fiquei apavorada, mas ele falou que era assim mesmo, para eu ir ao banheiro me lavar que logo parava de sangrar. Corri para o chuveiro e com a duchinha de mão comecei a me limpar. Estava com minha buceta cheia de porra e sangue e fiquei um tempão lavando, porque não parava de escorrer aquilo de dentro de mim. Finalmente achei que tinha acabado, enxuguei numa toalha dele e voltei para o quarto. Ele já tinha ido no outo banheiro do ap e se limpado, mas continuava nu e com aquele pauzão duro. Sentei na cama e perguntei por que ele havia feito isso, que a gente tinha combinado que não faria penetração. Ele falou que não aguentava mais de vontade de meter comigo e que eu fechei os olhos e abri as pernas (eu não senti que tinha aberto, mas ele falou que abri sim) e que achou que eu também queria. Aí eu falei que estava com medo porque ele gozou dentro e eu podia ficar grávida. Ele disse que não iria ficar não, que ele já há algum tempo vinha controlando as datas da minha menstruação e quemarcou pela tabelinha e que depois me explicaria isso.

Meu primo sentou na cama ao meu lado, me abraçou carinhosamente, me dando beijinhos. Eu falei que tinha sentido muita dor, que o pau dele era grande demais para mim, mas ele disse que na primeira vez era assim mesmo e que aos poucos eu acostumaria. Falou até que ficou surpreso, pois outras meninas que tinha transado não aguentaram bem como eu. E que mesmo o pau dele sendo grande entrou praticamente todo em mim e que eu tinha a buceta funda. Logo ele deitou na cama e me puxou por cima dele e de novo colocou a cabeça do pau na entrada da minha buceta. Olhou para mim e falou:
– Senta você. Assim você controla a penetração e sente melhor ele entrando e pode parar se sentir dor.
Fui levantando o corpo, empurrando para baixo e sentindo novamente aquele pauzao enorme abrindo minhas carnes. Mas dessa vez não teve mais aquela dor que parecia que estava me cortando. Só um pouco de ardência na entrada. Fui mexendo devagar, sentindo cada centímetro entrando na minha buceta, até encostar no fundo. Ele me pegou pela cintura e me puxoue eu dei um gemido com a estocada que senti no fundo da buceta. Ficamos assim alguns minutos,eu mexendo devagar sentindo o pau dele esfregando por dentro da minha buceta e estava gostando daquilo. Depois de um tempo ele me virou na cama, levantou bem minhas pernas e disse que ia fazer um frango assado comigo. Segurando minhas pernas bem abertas e no alto ele começou a meter em mim, entrando e saindo, aumentando o ritmo e a força das bombadas. Eu gemia muito, mas nem era bem de dor não. Ficou assim bastante tempo, muito mais que na vez anterior. Aos poucos fui sentindo tipo um calor subindo pelas minas pernas, uma sensação estranha por dentro e comecei a gener mais forte. Meu primo percebeu e aumentou o ritmo ea força das bombadas. Eu perdi totalmente meu controle, estava ficando louca com a sensação e comecei a fazer os movimentos junto com ele, gemendo cada vez mais, até que acabei tendo um orgasmo maravilhoso, parecia que ia desmaiar. Ele falava para mim:
– Goza Lilika, goza bastante pro seu macho, mexe com essa buceta, engole mimha piroca todinha.
Assim que acabei de gozar ele tirou o pau de dentro, virou meu corpo na cama, me colocou de quatro e falou para abrir bem as pernas. Logo veio por trás e enfiou a piroca de uma vez só na minha buceta, fazendo com que eu desse um gritinho, um pouco de dor e um pouco de tesão. Segurou na minha cintura me puxou e começou a bombar com força e bem rápido na minha buceta. Em cada estocada eu sentia a cabeça do pau batendo no fundo da buceta e gemia com a dor que isso causava. Meu primo foi metendo cada vez mais forte, me beijando nas costas, apertando meu seio e falando um monte de sacanagens, me deixando também louca e excitada ao máximo. Minha buceta doia no fundo, ardia na entrada, mas era muito gostoso. Não demorou muito comecei a sentir que iria gozar novamente e falei para ele:
– Deco, não para, continua, vou gozar de novo.
E ele falando no meu ouvido:
– Isso Lika, minha mulherzinha, minha putinha gostosa e apetadinha, goza na piroca do teu macho.
Isso me deixou ainda mais excitada e logo comecei a gozar. Ele sentindo que eu gozava começou a gozar também e nós tivemos um grande orgasmo juntos. Como da outra vez ele ainda continuou bombando um pouco depois de gozar. Depois arriamos na cama e ficamos muito tempo assim, ofegantes. Quando ele saiu de dentro de mim e de cima me levantei e percebi que de novo havia um pouco de sangue nas minhas coxas e no pau dele, porém muito menos que antes. Ele percebeu e falou para não ficar preocupada, era assim mesmo, o cabaço ainda não cicatrizou e sai um pouquinho de sangue, mas logo acaba. Eu ia levantar pra me lavar, mas ele me segurou e ficamos jutinhos abraçados. Depois de algum tempo, ele falando que eu era a melhor garota que ele tinha comido e outras bobagens, eu tomei coragem e mesmo com vergonha perguntei:
– Deco, teu pau é muito grande, quanto que tem?
– Tem 20 cm Lika
– E de grossura?
– Não sei, nunca medi, mas é bem grosso e você aguentou numa boa.
– Numa boa? Parece que estou toda rasgada na buceta.
– Pode até estar Lika, mas você não só aguentou como ate gostou, kkkkkkkkkkk. E nós vamos fazer isso e muitas outras coisas que vou te ensinar daqui pra frente. Espera um pouco.
Ele levantou, foi ate a estante e pegou uma máquina fotográfica digital, mandou eu deitar e abrir as pernas.
– Vou tirar uma foto para você ver com sua buceta ficou agora. Você já viu as fotos que eu tirei quando ainda era cabaço e pode comparar.
Ele tirou algumas fotos e me mostrou na própria máquina. Minha bucetinha que antes era fechadinha, nem se via por dentro, agora estava arreganhada, vermelha, suja de porra e de sangue e o buraco da buceta bem aberto.
– Caraca, voê destruiu minha buceta.
– Não se preocupe, logo ela volta ao normal, só que sem o cabacinho, kkkkkkkk.
Levantei, peguei minhas roupas, fui pro banheiro me lavar, me vestir e quando voltei ele já estava vestido no quarto. Me deu mais um beijo, apertou meus seios e depois eu fui embora para casa, com minha buceta ardendo na porta e dolorida no fundo. Nesse dia fiquei na cama praticamente o resto da tarde até meus pais chegarem do trabalho, só pensando no que tínhamos feito e com muito medo de poder engravidar.
Três dias depois liguei pra ele, dando a desculpa de ele me explicar a tal de tabelinha e fui de novo lá no ap. Bom, ele explicou a tal da tabelinha, mas o que rolou depois eu conto no próximo.

Espero ver os comentários. Se agradar eu continuo a contar minhas estórias, e olha que tem várias.

3 comentários sobre “Enfim Minha Primeira Vez

  1. Adorei seu conto, e acho que ele pode ser real, já comi várias primas, e é gostoso de mais. Agora eu fiquei foi com vontade de comer a prima do seu primo

  2. Conto muito bom , e bem excitante , do tipo que gosto , pois até hoje eu faço sexo com as minhas primas e isso é muito excitante, que tal voce me chamar no whatsapp para trocamos uma ideia sobre nossas experiências

Deixe um comentário

CAPTCHA



Online porn video at mobile phone


contos eróticos travesticontos erotcoscontos eroticos veridicosconto eróticacontos eroticos de gayscontos incesto gayhistoria eroticascontos eróticos onibuscontos heroticos incestocontos de sexo selvagemcontos eróticos sobrinhacontos eróticos atuaiscontos eoticoscontos de sexo com a empregadacontos eroticos chantagemconto encoxadacontos eroticos femininocontos eróticos com travestiscontos analdei pro meu cunhadocontos e relatos sexuaisconto pornocontos eroticos sogracontos analcuzinho contoscontos roticoscontos eróticotravesti contoscontos perdendo a virgindadecontos eroticos sobrinhoconto gay eroticocontos eroticos metrocontos eróticos de incestocontos de safadezacontos ertconto erótico lesbicocontos eroticos gay ultimoscontos crossdressercontos eorticosconto erótico lésbicascontos eróticos proibidoscontos eroticos gay novinhocontoseróticoconto erotico travestirelatos de incestossexo contos eroticoscontos de sexrelato eroticoscontos eroticos insestocontoseroticos incestocontos eróticos com novinhascontos cunhadinhacontos eroticos gay 2018contos eroticos insestoshistorias de incestocontos eroticos femininoscontos eróticos meninascontos eroticos sogrocontos eroticos de sograrelatos eróticocontos eroticos madrastacontos eroticos madrastaconyos eroticosconto eroticoscontos eroyicoscontos de incestocontos eróticos femininocontos eróticosgaycontos incestuososconto erótico novinhacontos eroticos sobrinhacontos eroticos analconto erotico encoxadarelatos eroticoscontos eroticsconts eroticoscomi minha prima contocontos e relatos eroticoscntos eroticoscontos de crossdresserúltimos contos gayscontos eroticos traiçaocomi minha cunhada contosconti eróticocontos eroyicossite de contos eroticosconto erotico uberconto erotico sobrinhaconto de incestoconto eroticocontos cuckold