Pulada de cerca no parque

Este fato que vou narrar aconteceu há um ano, mas até hoje confesso que não saiu da minha cabeça ainda. Deixa eu me apresentar: Sou um tipo comum, mas bem apessoado e de fácil relacionamento, e sempre estou fazendo novas amizades. Fisicamente, sou moreno claro, alto, olhos verdes, 35 anos, corpo em forma, e casado. Apesar deste acontecido vivo um ótimo relacionamento com a minha esposa. Acredito que as vezes as situações surgem em nossa frente e simplesmente tempos que optar por seguir em frente ou não, mas isso não significa que mude alguma coisa em relação aos nossos sentimentos, então…

Em um dia ocioso das minhas férias, resolvi fazer uma caminhada pelo parque Bariqui (Curitiba) quando pouco a minha frente tenho a atenção desviada por um pequeno gemido de uma mulher, ao tropeçar no calçamento. Instintivamente, fui ao seu encontro para saber se estava bem e precisava de ajuda. “Ah, tudo bem. Só virei o pé, uma dorzinha de nada. Já passa, obrigada”. Mas como demonstrou alguma dificuldade em apoiar-se, sugeri que sentasse um pouco e ofereci ajuda até o banco mais próximo para recuperar-se, a qual agradecida aceitou. Nesse momento, ao pegá-la pelo braço senti a suavidade da sua pele e a fragrância do perfume que usava. Essa mistura de sensações fez com que meu instinto de solidariedade tenha dado lugar ao de homem, e não pude deixar de observar a bela mulher que estava ao meu lado. Era bonita, sim… Nada fora do comum… Dessas que no dia-a-dia, passa-se despercebida, pulverizada no meio da multidão… ahhh, não fosse aquele seu jeito muito sensual… O suficiente para num simples olhar, já despertar desejos incontroláveis em qualquer um!!! Uma morena de pele clara bronzeada pelo sol, cabelos longos e lisos, de estatura mediana e dona de um corpinho delicioso e cheio de curvas para se perder.

Para alegria dos meus olhos, em sintonia com o calor que fazia neste dia, ela estava com um vestido curto de alcinhas e tecido fino, que combinado com um decote generoso e alguns movimentos, me premiavam com uma sutil visão do contorno dos seus seios, e descendo um pouco o olhar, tinha a mostra de suas pernas bronzeadas, que ao sentar, fizeram meus pensamentos enxergar além do que eu podia ver…

Assim conversamos mais um pouco, e ela disse que iria ligar para o marido, pois talvez pudesse vim buscá-la. Lá se foram minhas chances, pensei… afinal essas idéias que surgiam da minha cabeça eram pura ficção!! Mas, a sorte estava do meu lado, e daí resolvi deixar rolar: O mesmo estava envolvido com o trabalho, e não poderia vir.

“Ah é sempre assim, ele nunca tem tempo p/ mim. Se fosse para um cliente ou amigo, iria até a China!”, desabafou… Tentei a consolar, dizendo que de vez em quando era assim mesmo, a cabeça quente faz tomar atitudes sem pensar, etc… a qual ela rebateu dizendo que não, não era só aquela vez, isso acontecia com freqüência, e já tava chateada com essa situação.

Acabei dando margem para alguns minutos de desabafo, e perguntei novamente do pé, a qual ela respondeu que ainda doía um pouquinho, mas logo deveria passar. O papo foi rolando naturalmente, e na medida que ficávamos mais solto, os sorrisos brotavam em nossos rostos e a simpatia cativante dela, me deu coragem para uma investida mais ousada, apesar do pouco tempo que as coisas estavam acontecendo.
Ofereci para dar-lhe uma carona, já que meu carro estava ali perto e ela não teria condições de voltar daquele jeito. Ela pensou por um momento e me respondeu um sim, com um sorriso de agradecimento. Ao entrarmos no carro, vendo que ainda estava com dificuldade para andar, falei: coloca o pé aqui na minha perna, vou te fazer uma massagem e se não passar, te levo ao médico. E já fui puxando o seu pé, pois nesse ponto já estava com segundas e terceiras intenções e não quis dar tempo para ela recusar. Meio sem jeito, mas com cara de aprovação ela esticou suas pernas no meu colo, e iniciei a massagem. Conversamos mais um pouco, o papo tava descontraído levando para o lado das brincadeirinhas e risadas, quando num momento ela soltou um gemido.
– Machuquei?
“Não, respondeu rápido. A dor até já passou, é que ta gostoso mesmo…” Essa frase, acompanhada de um sorriso agora mais malicioso, foi a deixa que eu estava esperando. disse que também estava adorando e perguntei já em tom de malícia se tinha mais alguma parte do corpo que estava doendo. Ela me respondeu dizendo que eu tinha um jeito especial de fazer massagem e brincou: dá vontade de pedir uma completa!Você cobra muito caro? E riu… Ri também e disse: Para você só um beijo…

Nesse momento o clima estava pra lá de quente, puxei o seu corpo junto ao meu, e nos beijamos demoradamente… mas como estávamos em local público, e em “situação de risco”, sugeri irmos a um Motel continuar a “Terapia”. Ela suspirou e disse: “Isso tudo é uma loucura, mas não dá mais para resistir. Vamos logo!” no caminho, aproveitando a privacidade dos vidros escuros, essa mulher se transformou em uma leoa… juntou-se a mim, e enquanto dirigia, sussurrava em meu ouvido, lambia o meu pescoço, dava chupãozinhos. Fiquei quase louco, tendo que me controlar para não bater o carro. cheguei ao motel com a calcinha dela pendurada em meu pescoço, meus dedos todos lambuzados e com o pau duro para fora das calças… abaixei o vidro o suficiente para fazer o pedido do quarto e para lá fomos… ao chegar nos beijamos, e num simples arrastar de alças, fiz com que o seu vestido já solto, desliza-se em direção ao chão, revelando aos meus olhos o banquete que iria devorar… os seios médios com as típicas marquinhas do sol e os mamilos duros de desejo revelaram por completo o que momentos atrás eu sofria para enxergar… descendo os meus olhos tive a revelação de um pequeno amontoado de pelos ralos, já umedecidos pelo desejo daquela mulher. Ela juntou-se a mim, e ao mesmo tempo que acariciava o meu corpo com suas mãos suaves, me despia com destreza. Fomos tomar uma ducha, para amenizar o suor que o nosso tesão tinha causado… comecei a ensaboá-la, e ao mesmo tempo fazer uma deliciosa massagem naquele corpinho delicioso, em seguida a abracei por trás, joguei os seus cabelos para um lado, deixando o pescoço descoberto e comecei a cobrir de beijinhos… ela inclinou a cabeça para trás, e enquanto fazíamos carícias com as línguas, abracei-a deslizando as minhas mãos nos seios, alternando entre eles e massageando seus mamilos, enquanto fiz com que abrisse suas pernas, encaixado a minha por trás até sentir a sua vulva gostosa roçando na minha coxa… alguns movimentos nessa posição, e lhe arranquei um gemido descontrolado de tesão. Fomos para a cama molhados, a deixei virada com aquela bundinha deliciosa para cima, e comecei pelos pés a dar-lhe um banho de língua e sugar a água que escorria no seu corpo em chamas… cada vez ela gemia mais alto e mais descontrolada, me deixando cada vez mais louco de desejo… quando cheguei na sua bundinha deliciosa, e tive a visão daquela vulva encharcadinha de tesão, não agüentei e comecei a lamber e sugar freneticamente a sua Xaninha… dava beijinhos no seu clitóris, e ia fazendo movimento circulares com a ponta da língua, arrancando-lhe gemidos cada vez mais descontrolados; Introduzia a língua, fazendo um vai-e-vem, e alternando com uns mordiscões. Eu estava delirando só de ver aquela leoa urrando e se contorcendo todinha. Daí ela falou: Agora é minha vez… agarrou o meu cacete e começou a dar umas lambidas começando pelo saco, até chegar na cabeça… alternava esses movimentos e dava uns beijinhos, e logo começou a mamar como se estivesse faminta… E como fazia bem isso! Ora engolindo-o até o fundo, ora dando uns chupaõzinhos na cabeça… Agora era eu que estava quase trepando pelas paredes!

Já não agüentando de tanto tesão, sentei na cama, e ela virada de frente para mim, fiz sentar no meu colo, e engolir devagarzinho o meu cacete com a sua vulva pegando fogo…. ela soltou um gemido de prazer e abraçou-me com força, enquanto eu com uma mão pequei por trás do seu pescoço e a outra dando apertões na sua bundinha maravilhosa… com um abraço apertado, colei os nossos corpos e bocas, que alternavam entre beijos ardentes, respiração ofegante e sussurros de prazer, e assim ficamos um bom tempo, num ritmo descompassado. Era um delírio sentir seu corpo inteiro junto ao meu, seus mamilos endurecidos roçando no meu peito, nossas mãos acariciando todas as partes do corpo que conseguíamos alcançar, até o momento que quase juntos chegamos num delicioso orgasmo… e confesso, a muito não sentia todo aquele prazer! Os corpos molhados de suor, corações batendo forte, corpos trêmulos e o olhares iguais a crianças assustadas por terem feito uma peraltice, mas com o sorriso de aprovação, e aquela vontade de quero mais, são as palavras que posso usar para traduzir esta deliciosa sensação que tomou conta da nossa mente naquele momento… terminamos o vinho, rimos, trocamos abraços e carícias, tentando aproveitar o restinho do momento pois sabíamos que tudo isto terminaria… voltaríamos cada um a sua rotina, tendo apenas a mente como lembrança de algo mágico que nos aconteceu!

Para mantermos a discrição, voltamos ao local onde tudo começou, e devido as circunstâncias nos despedimos sem nada combinar, a não ser esperar a chance do acaso novamente nos premiar com um novo encontro… minhas férias acabaram, e outras estão por vir, e com certeza estarei passeando por lá de novo. Quem sabe….

Deixe um comentário

CAPTCHA



Online porn video at mobile phone


conto eroticocontos roticoscontos eroticos chupando bucetacontos sexuaispodolatria contoscontos eróticos mãe e filhocontos sexyeróticoscontos eroticos dormindoconto erotico primocontos eroticos primorelatos e contos eroticoscontos eróticos por categoriacontos eroticos reaiscontos eroticos esposaconto erótico de incestoprima safadaconto erotico traicaoconto erotico ubercontos eroticos fantasiacontos eróticos traiçãomeu conto eróticocontoseroticocontos eroticos meninas novinhascontos eróticos ônibusporno contos eroticoscontos eroticpstexto eroticocontos eroticos cunhadocontos eroticos sobrinhocontos eróticos de travesticontos reais de sexocontos eroticos adolecentescontos e fetichestextos eróticosforumcutucacontos de sexoscontos eroticos infanciacontos eroticos mae e filhacontos sensuaiscontos eróticos lesbicoscontos eroticos gays cnncontos eroticos de insestoscontos eroticos bem safadosconto eróticoconto sexo gaycontos eróticos irmãcontos eroticos siriricacantos eroticoscontos encoxadascontoa eróticosconto erotico com travesticontos eroticos entre irmaoscasa dos contos eróticoscontos de sexo no onibusconto erotucocontos putariacontos eroticos gayscontos heroticos gayconto de incestocontos eroticos surubasexo anal contoscontos de coroascontos eroticos brcontos eróticos proibidoscontos eroticos novinhascontos eróticos ilustradoscontos eroticos de traiçãonovinhos na punhetaconto erotico swingcontos de sexo selvagemcontos eróticos femininoscontos eróticos cunhadotravesti contoscpntos eroticoscontos eroticos de encoxadas